Seja bem-vindo. Hoje é

22/08/04

O coleccionador de taças

Vítor Baía está a duas taças de conquistar tudo a nível de clubes. A primeira oportunidade é já na próxima semana; a outra ficará adiada até Dezembro. Ao futebolista com mais títulos em todo o Mundo só falta mesmo um livro

Por HUGO SOUSA
www.ojogo.pt

Que Vítor Baía era um coleccionador de troféus já se sabia; que era o melhor coleccionador do Mundo ficou a saber-se depois de somadas todas as parcelas. Aliás, parte da musculatura de braços de Baía deverá resultar desse hábito de levantar taças e, a continuar assim, será melhor vigiar o fígado de vez em quando para ter a certeza de que o inevitável champanhe que bebe por cada uma delas não lhe traz problemas.

Tão ou mais impressionante do que o número de títulos é a forma exuberante como Vítor Baía os festeja. As fotografias que ontem documentavam a festa de Coimbra traduzem esse espírito: agarrado à Supertaça, como se não fosse a sétima igual que ergue em toda a carreira, e a acarinhá-la como se de uma espécie de elixir da eterna juventude se tratasse. Talvez seja. Ao contrário de um coleccionador comum, o guarda-redes portista não se incomoda com o facto de repetir alguns cromos. Arranja espaço para todos na caderneta pessoal de recordações, mas até Dezembro tem a possibilidade de caçar dois originais muito cobiçados: a Supertaça Europeia, que lhe escapou dos dedos para o Milan na época passada, e a Taça Intercontinental, que disputará pela primeira vez, contra o Once Caldas. Se o conseguir - e a menos que UEFA se lembre de inventar uns títulos novos - Baía faz o pleno que um jogador pode ambicionar a nível de clubes.

As últimas duas épocas ampliaram consideravelmente o currículo, ao ponto de quase o obrigar a utilizar máquina de calcular para saber ao certo o resultado de uma soma que é simples: dos 26 títulos contabilizados, 21 foram conquistados com a camisola do FC Porto e os outros cinco com a do Barcelona. A Selecção não lhe acrescentou nenhum e da continuidade de Luiz Felipe Scolari resulta a certeza de que essa é uma torneira definitivamente fechada. Esse é o único nó que lhe sobra na garganta e que nem o tal champanhe que por lá escorregou nos últimos meses conseguiu desatar. Scolari não lhe confiou a baliza no Europeu, mas a UEFA apostou nele: no Mónaco receberá o título de melhor guarda-redes europeu da última temporada. "Teria umas histórias engraçadas para contar num livro", disse no defeso da época passada. Talvez as conte brevemente.
Enviar um comentário

Pesquisar neste blogue

Mensagens populares

Subscrever / Email

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Subscribe to PORTOGAL by Email

2009/10: 92 dias e 18 jogos depois fez-se justiça!

2009/10: 92 dias e 18 jogos depois fez-se justiça!
Hulk e Sapunaru foram castigados com apenas 3 e 4 jogos.
tag cloud Portugal Top Estou no Blog.com.pt blogaqui? Assinar com Bloglines Futebol Português Eu sou Desportista