Seja bem-vindo. Hoje é

28/10/06

Porque hoje é sábado...

OS TRÊS PORTISTAS

Correio da Manhã 2006-10-25
Conflito - guerra entre dirigentes
Tão amigos que nós fomos

Luís Filipe Vieira e José Veiga são hoje inimigos de Pinto da Costa. No passado não era assim...
Já houve uma era em que Pinto da Costa ajudava Veiga e abria a sua casa a Luís Filipe Vieira. Mudam-se os tempos...

Hoje nem se podem ver. Luís Filipe Vieira e José Veiga, de um lado, e Pinto da Costa, no oposto, são os rostos da mais mediática querela do desporto nacional. Em momentos-chave, como as vésperas de um FC Porto-Benfica, as partes beligerantes contam armas e abrem fogo sobre o rival, pontapeando a bola do jogo muito antes do primeiro apito do árbitro. Mas já houve um tempo em que os dois presidentes e o director-geral da SAD do Benfica não só eram amigos como até se ajudavam.

A amizade de Pinto da Costa com José Veiga remonta ao tempo em que este era emigrante no Luxemburgo, nos finais da década de 80. Vivia de um negócio de pintura de automóveis e impressionava Pinto da Costa com o seu fervor clubístico, nas visitas do líder portista ao grão-ducado. A tal ponto que este deu a bênção à nomeação do amigo para presidente da casa do FC Porto no Luxemburgo. Veiga começou, também, a representar os portistas em diversas diligências oficiosas junto das altas esferas do futebol europeu. Conheceu gente importante, tornou-se intermediário de negócios de jogadores e com a ajuda dos irmãos Oliveira tornou-se empresário. Passou mesmo a ser o empresário de referência do FC Porto.

Em 1998, o FC Porto acordou a venda de Sérgio Conceição para a Lázio. Um negócio de dez milhões de euros que contemplava uma comissão de dez por cento para a Superfute, empresa de José Veiga e do filho de Pinto da Costa, Alexandre. Desta verba, metade ficou prometida a um empresário italiano, também parte interessada. Surge entanto um contratempo: Adelino Caldeira, dirigente portista, não via com bons olhos os negócios de Veiga, até porque o seu irmão, José Caldeira, já disputava uma fatia do mercado. O FC Porto decidiu conceder apenas cinco por cento de comissão, verba que foi inteirinha para o tal empresário italiano. Veiga ficou a ‘arder’. E incompatibilizou-se com Pinto da Costa. Mais tarde, numa entrevista ao ‘Expresso’, disse cobras e lagartos dos administradores da SAD portista e o assunto acabou em Tribunal. Assim nasceu um ódio de estimação, que perdura até hoje.

Mais tarde, a aproximação de José Veiga a Luís Filipe Vieira acabaria por ditar a ruptura entre o presidente do Benfica e Pinto da Costa. Amigos e aliados no tempo da presidência de Vieira no Alverca, hoje não se podem ver.

O ALIADO CONTRA AZEVEDO

Se é verdade que José Veiga é o móbil do ‘divórcio’ entre Pinto da Costa e Luís Filipe Vieira, não é menos certo que Vale e Azevedo foi o homem que os aproximou. Nem Vieira (então presidente do Alverca), nem Pinto da Costa suportavam o antigo presidente do Benfica. Pinto da Costa considerava então Vieira “um aliado”, tal como escreveu no seu livro biográfico. Eram íntimos, tal como as famílias. Sara Vieira e Joana Pinto da Costa, as filhas, ainda hoje mantêm amizade. Tal como Vanda Vieira e Filomena (ex-mulher de Pinto da Costa). Chegaram a estar todos na residência de férias do presidente portista, em Vila Nova de Cerveira. Um privilégio raro.

Enquanto presidente do Alverca, Vieira foi elemento decisivo na passagem dos ex-benfiquistas Maniche, Ovchinnikov e Deco, entre outros, para o Porto. O convite feito a Veiga, já no Benfica, estragou a forte amizade.
Mário Pereira / M.Q.
Enviar um comentário

Pesquisar neste blogue

Mensagens populares

Subscrever / Email

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

Subscribe to PORTOGAL by Email

2009/10: 92 dias e 18 jogos depois fez-se justiça!

2009/10: 92 dias e 18 jogos depois fez-se justiça!
Hulk e Sapunaru foram castigados com apenas 3 e 4 jogos.
tag cloud Portugal Top Estou no Blog.com.pt blogaqui? Assinar com Bloglines Futebol Português Eu sou Desportista